Voltar

A importância de uma ingestão adequada de água para a saúde

Nosso corpo é formado principalmente por água. Ela é de extrema importância para um adequado funcionamento do cérebro (evitando perdas de memória), dos intestinos (auxiliando a evacuação e evitando a constipação), as glândulas, a pele (auxilia a evitar o ressecamento da pele e o aparecimento de coceiras e feridas), as articulações (ajudando a prevenir artroses), lubrificação dos olhos e da mucosa oral (evitando assim a boca seca e infecções orais), os rins (auxiliando na formação de urina), entre outras.

O envelhecimento é acompanhado da diminuição da capacidade em sentir sede, o que faz com que muitos idosos não tenham uma adequada ingesta de água, o que pode gerar um grande prejuízo à saúde, já que a água é um componente essencial ao funcionamento de muitos órgãos. Associado a isto, há também a grande frequência de uso de medicamentos diuréticos nesta população, o que faz com que se perca muita água pela urina, além da incapacidade dos rins em reter mais líquido. Além disto, temos as perdas normais de líquido pelo corpo, através da respiração, urina, fezes e sudorese, predispondo a desidratação.    

O idoso frequentemente apresenta-se desidratado, mesmo sem perceber, já que nem sempre sente sede, o que faz com que ingira pequena quantidade de líquido ao dia (apenas com medicações ou com alimentos secos). O ideal é ingerir de 1,5 a 2,5 litros de água por dia, ricas em água. Deve-se evitar água gelada, pois inibe rapidamente o reflexo da sede, assim como deve-se desestimular a ingesta de refrigerantes ou bebidas artificiais. Bebidas de álcool não servem para hidratar, muito pelo contrário. Além de seus malefícios, predispõem a desidratação.